Bogotá é uma cidade lindíssima e muito badalada, que nada se parece com a Colômbia da época de Pablo Escobar retratada no seriado “Narcos”, já que me pareceu ser bem segura ou ao menos bem mais que as terras brasileiras. E, inclusive, por lá é um tabu mencionar o Pablo Escobar, de qual uns amam e outros odeiam.

Onde fiquei, na região do Parque 93, os apartamentos são todos no mesmo padrão, de tijolinhos vermelhos e bem cuidados. Essa localidade concentra muitos bares, restaurantes e locais pra sair a noite. Minha escolha, altamente recomendada para hospedagem foi o Madisson In Hotel, que agora está com o nome de Park Inn na entrada. Fiz a reserva no booking, já que tenho descontos nesse site , e no dia da entrada só tive 1 inconveniente, que foi o check-in que seria realizado apenas a partir de 15 horas, apesar de ter solicitado uma antecipação de 2 horas. O hotel conta com um atendimento de recepção 24 horas e possui um café da manhã maravilhoso! Além disso, o quarto família que fiquei era enorme e possuía 2 banheiros, sendo o custo benefício muito bom, já que o quarto foi dividido por 4 pessoas.

Praça 93
Praça 93
OMA Café Restaurante
Tortinha de limão do OMA

O hotel ficava muito bem localizado, pois era uns 5 minutos a pé do Parque 93, que na verdade é uma praça circundada por bares e restaurantes. E por ali você achará desde o Beer Company que possui cervejas artesanais colombianas, até o famosinho Friday’s encontrado no Brasil. Eu, por exemplo, só experimentei o OMA Cafe, que é uma rede conhecida de restaurantes na Bolívia, que você vai encontrar em todos os lugares. Lá tem um cardápio do dia que saiu por uma pechincha, já que incluía a bebida e a sobremesa, que era uma tortinha de limão deliciosa. Quanto a comida era gostosa, mas não era excelente como em outros lugares que comemos na Colômbia.

Após a ambientação pelo Parque 93, eis as dicas de bons passeios para fazer em Bogotá, que são muitos! Comecemos por Usaquén, que é um bairro muito interessante e que aos domingos recebe um mercado de pulgas que vende todo tipo de tranqueiras antigas, mas também bijouterias, bolsas, artesanatos e souveniers da Colômbia. A feira funciona da parte da manhã até às 20h, mas as barraquinhas costumam começar a fechar às 18h, que é o horário que começa a escurecer e ficar impossível de enxergar direito as mercadorias. A feira se concentra perto da praça principal, em seu entorno e continua até o shopping, que por incrível que pareça, possui uma filial do famoso restaurante o Andrés Res Carnes. Importante ao transitar pela feira é ter cuidado com a insistência de alguns feirantes, que só faltam te obrigar a comprar a mercadoria. Além disso, outro ponto negativo para ficar atento é que alguns vendedores darão um preço meio aleatório pelas mercadorias, provavelmente superior ao que ela vale e caberá a você pechinchar para que ele abaixe o preço. Isso aconteceu várias vezes comigo na Colômbia inteira e me irritou muito a atitude de alguns ambulantes. Então, vá preparado para nem parar para olhar se algo não lhe interessar, pois se parar, para sair do papo do vendedor será bem difícil.

Se por acaso for ficar por muito tempo pela feira, opções para comer não irão falta, pois o entorno tem tantos bares e restaurantes que é até difícil escolher em qual entrar, já que como na Colômbia inteira, as decorações externas e internas dos lugares são super convidativas. Se preferir poderá ir também até ao shopping que possui diversas opções de restaurantes ou ainda comer em algum dos food trucks que ficam perto da sua entrada. Eu e meus amigos preferimos ir para o The Eight Bells English Pub, que é um autêntico pub inglês, com boas opções de cervejas importadas e boa música, mas que no entanto, deixou a desejar no petisco (meio gorduroso!). No entanto, aviso que o lugar não é muito cheio e é mais recomendado pra beber e jogar conversa fora com os amigos, relaxando depois de um dia longo.

Eight Bells Pub
Eight Bells Pub

O segundo passeio bacaninha pra se fazer em Bogotá é ir na praça Bolívar que é uma parte histórica importante da cidade. Na praça você encontrará prédios importantes como o Congresso Nacional colombiano, a catedral Primada da Colômbia, o museu de Arte Colonial. Ou se preferir, poderá ir a pé ao museu do Botero (que fica bem pertinho) ou ao Centro Cultural Gabriel García Marquez.

Catedral Primada da Colômbia
Vista da Praça Bolivar
Congresso Nacional Colombiano

Eu super recomendo uma visita ao Museu Botero, que possui uma vastíssima coleção desse artista conhecido pelas formas redondas de suas representações. Além disso, o museu nos presenteia com uma belíssímo pátio interno e uma arquitetura incrível, assim como outros quadros e esculturas de artistas do modernismo ou do pós-modernismo como: Klimt,Miró, Bacon, Braque, Dalí, Degas, dentre muitos outros. E para a alegria do visitante o museu é gratuito e conta ainda com uma charmosa cafeteria para uma pausa durante a visita.

Museu Botero
Museu Botero

Quanto ao Centro Cultural Gabriel García Marquez, apesar do nome, ele não possui nenhuma exposição ou acervo sobre o grande escritor. Na verdade, é formado por uma construção circular de estilo moderno que possui um espaço expositivo, alguns lugares para comer como a cafeteria Juan Váldez e uma livraria gigante. Para mim, a única coisa que valeu a pena ali, foi ter conhecido essa livraria, que é de uma editora chamada FCE( Fondo de Cultura Ecónomica) e tinha livros próprios que nunca poderia encontrar no Brasil. Fora isso, o espaço era todo dividido por assuntos e tinham livros interessantíssimos ligados a história e pré-história do país, como os sobre as culturas pré-colombianas. Agora, a parte chata de tudo é que eram beeeeem caros, o que me desanimou de comprar algo por lá.

Vale destacar que todas essas atrações ficam no bairro da Candelária, o centro histórico de Bogotá, que também é conhecido por sua parte boêmia.Quem for fazer uma visita pelo bairro, pode dar um esticada no passeio e aproveitar a noite os vários bares que se concentram na região. Para quem conhece, é como se fosse a Lapa (o bairro carioca) colombiana, cheio de mesinhas ao ar livre, pessoas bebendo e fumando seus diversos cigarrinhos. Além disso, as ruas são um espetáculo a parte, cheias de casarios antigos e grafites nas paredes, por isso vale a pena dar uma voltinha.

Quem quiser pode também almoçar ou jantar pela região, pois os restaurantes por ali são muito recomendados. Dica de restaurante que posso dar é o Bistro de La Candelaria, um lugar que me surpreendeu pelo preço e qualidade, já que eu não dava nada por ele. Esse restaurante tem uma comida deliciosa e alguns pratos e bebidas típicos da Colômbia, por um preço bem em conta (não se esqueçam sempre de conferir o prato do dia, que vai ser sempre mais fresco e mais barato!). Além disso, o ambiente é muito agradável e o atendimento é super atencioso.

Bistro de La Candelaria

Saindo da Candelaria um pouco, vamos a outros lugares que merecem uma visita, como o Museu do Ouro e o Museu Nacional. O primeiro é o museu mais famoso de Bogotá, que se encontra no Parque de Santander e custa apenas 3.000 pesos para entrar, sendo que aos domingo é totalmente gratuito. Esse museu possui um acervo vastíssimo da arte pré-colombiana em ouro e outros metais e se divide em 4 partes, mas dá pra gastar pelo menos umas 2 horas visitando tudo, pois o museu é bem grande. Muito interessante nele é ver os recursos expositivos que foram utilizados através da tecnologia para tornar o assunto mais interessante. Recomendo que não deixem de visitar a “Sala ofrenda” que oferece uma experiência, através de sons e luzes, do que seria uma ritual xamânico de oferendas. O espaço conta ainda com uma lojinha e uma pequena cafeteria.

Quanto ao segundo lugar ,o Museu Nacional, esse vai contar a história e um pouco da pré-história da Colômbia. A construção em que se situa possui 3 andares e o tempo gasto pra visitar toda a exposição, se você for ver tudo com calma, pode ultrapassar 2 horas tranquilamente. Ele é gratuito e tem um acervo histórico interessantíssimo, que mistura um pouco de todas as culturas que formaram a Colômbia, desde os africanos, espanhóis, até os povo nativos da região (divididos em diversas etnias, de acordo com a região).

Pátio interno do Museu Nacional
Vista do Museu Nacional

Agora a minha última recomendação de lugar para visitar na capital colombiana é o cerro de Monserrate, que é um dos morros mais altos de Bogotá, que possui mais de 3.000 metros de altura. De lá você poderá ter uma vista incrível da cidade e ainda aproveitar a gastronomia colombiana. Para chegar no topo do morro, é preciso pegar o funicular (elevador), o bondinho ou se tiver muito pique ir a pé. O preço para subir por funicular ou bondinho é o mesmo, em torno de 17.000 pesos com a ida e a volta. No entanto, há uma pequena variação de preços nos horários da noite a aos domingos, assim como há uma tarifa diferenciada para idosos e gratuidade para crianças até uma certa altura. Se quiser se informar mais pode conferir no próprio site do cerro Monserrate.

Vista da cidade em Montserrat
Funicular em Montserrat
Montserrat
Montserrat

Para encerrar essa postagem sobre Bogotá vou dar umas dicas imprescindíveis para se virar bem na capital colombiana. A primeira coisa é com relação aos táxis. Lá os táxis são mega baratos, é uma pechincha o quanto você paga por uma corrida longa.Sendo assim, dê preferência a eles, mas aos que tenham taxímetro. Fujam daqueles que querem cobrar um preço tabelado, pois provavelmente será mais caro. Outra coisa importante, ainda relacionada aos táxis é que a corrida do aeroporto pra cidade não pode ficar em mais de 40.0000 pesos, pegamos até por 20.000 na volta, mas na ida nos cobraram mais caro. Então tente pechinchar ou procurar um com o preço melhor. No entanto, tivemos muita dificuldade pra conseguir táxi na rua, acho que pela grande procura (todo mundo parece andar de táxi em Bogotá!), eles sempre estavam cheios. Então, sempre que puder, peça para a recepção do hotel pedir para você, pois é mais garantido de você conseguir um táxi.

A segunda dica é, tente pesquisar um pouco como funciona o esquema de numeração das ruas e prédios por lá, pois eu achei extremamente complicado quando cheguei e ficamos muito perdidos. Lá não funciona como o Brasil, em que a cada rua você tem uma placa com o nome, pois lá o nome das ruas é na verdade um número.  Além disso, os endereços indicam a rua (calle) ou a avenida (carrera) e a numeração do quarteirão,que é indicada de um determinado número a outro, já que os edifícios não possuem uma numeração específica e sim a numeração relativa ao quarteirão. Se você jogar no google maps um lugar qualquer, verá que as ruas e avenidas se chamarão: carrera 16a, calle 83, carrera 18, carrera 60 e etc… Em alguns prédios você verá a numeração relativa ao quarteirão como: 93-97 ou 85-87 e por ai vai.

Terceira dica importante é, se for para outros lugares da Colômbia prefira trocar todo o dinheiro em Bogotá, pois a cotação de real para pesos colombiano é muito melhor na capital, e muito melhor que no aeroporto também. Então, pesquisem nas casas de câmbio, pois provavelmente vocês encontrarão diferenças entre os lugares e podem ganhar um pouco pegando uma cotação boa.

Quarta dica é, se você for fã, aproveite para comer muito frutos do mar na Colômbia inteira, pois o preço é realmente muito em conta com relação ao Brasil, além do que é de excelente qualidade e muito saborosa.E Não há nada melhor do que a comida colombiana!

Polvo na chapa com batata

E finalmente minha última dica, que vai ser a respeito do famoso restaurante/bar/boate Andrés Carne de Res. O lugar é sempre recomendado em todos os guias e infelizmente só consegui ir para a balada, pois não consegui uma mesa para jantar. Sendo assim, se você quiser ir para comer, é recomendando que tenha feito uma reserva antes ou que chegue bem cedo. Já se você quiser ir para a balada,posso dizer que o lugar é um dos mais animados que conheci, no entanto, fique ligado que só tem música a partir de quinta-feira.

Para entrar na parte da balada do Andrés DC você terá que pagar uma entrada de 25.000 pesos. Lá dentro você verá que o espaço é dividido em vários andares, cada um correspondendo a um nível: terra, inferno, purgatório e paraíso. E cada um dos andares com uma decoração característica bem bacana.No entanto, preciso avisar ao viajante que o lugar não tem bebidas em conta, então prepare-se para a facada no bolso se pretender tomar uns bons drinks dentro do Andrés Dc.

Espero que tenham gostado e quem quiser saber mais sobre a Colômbia, pode dar uma olhada na postagem Ilha de San Andrés: uma experiência no Caribe colombiano.

 

Por: Madame Schirmer

Uma apaixonada por viagens, história, culinária e cervejas.

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 thoughts on “Bogotá: a capital que surpreende

  1. Recém vi NARCOS e passeando agora por seu BLOG me senti na Colômbia. Está ficando maravilhoso. Parabéns!

    Posted on 26/12/2015 at 19:56
    1. Obrigada Maria!!!Em breve vou colocar uns lugares bem legais no Brasil também!

      Posted on 27/12/2015 at 17:30