Na outra postagem demos dicas dos melhores lugares para comer em Paraty durante a FLIP, agora falaremos um pouco sobre hospedagens e os passeios que podem ser feitos durante essa época.

Durante o evento, a cidade tem um boom de pessoas se hospedando, e por isso mesmo, devido à própria capacidade das pousadas (que geralmente oferecem poucos quartos) há dificuldade de se encontrar bons lugares para ficar, se você não tiver procurado com muita antecedência. Mas deixo aqui a minha experiência para que vocês possam se programar, se não para essa FLIP de 2016, paras as próximas pelo menos.

O lugar que resolvi ficar na última FLIP de 2015 foi um hostel, que foi um pouco decepcionante, apesar de sua nota no booking na época estar em torno de 8 (posteriormente a nota caiu para 7,8). Mas, do último dia do evento até ir embora, ficamos em um outro local, que  super recomendo a todos, a Pousada Morro do Vento.  Agora, por que recomendo essa pousada? Bom…primeiro pelo ótimo atendimento, que foi nota 10, todos os atendentes sempre foram super atenciosos conosco e gentis, inclusive na hora de pedir táxi na recepção. Segundo, pelo café da manhã maravilhoso com pães e bolos feitos na própria casa e que eram servidos em uma varanda com uma vista linda, cheio de pássaros passando e saguis. Em terceiro lugar pela vista maravilhoso dos quartos, que é de tirar o fôlego, pois de lá é possível ver toda a cidade e tirar fotos belíssimas. E fora isso, as varandas ainda têm rede, e os quartos ar condicionado, que dependendo da temperatura que você colocar pode virar um aquecedor. E em quarto lugar (sim, tem um quarto lugar!) pela localização x preço, pois apesar de não ficar no centro histórico (que é onde acontece a FLIP), é possível chegar até lá em apenas 10 minutos a pé, e o preço não é tão salgado como no centro histórico. Agora, uma pequena ressalva, a pousada fica realmente em um morro, como o seu próprio nome diz, logo, para quem não vai de carro ou não pretende pegar táxi, pode ser um problema, principalmente se você tiver algum tipo de problema de locomoção ou se for idosx. No nosso caso, não foi nenhum inconveniente, pois se voltássemos muito tarde da noite, sempre pegávamos táxi e de dia não nos incomodava ter que subir um pouco para chegar a pousada.

Subida para chegar a pousada

O outro lugar que recomendo para se hospedar, do qual duas amigas minhas ficaram e me recomendaram muito, foi a Pousada Villas de Paraty, bem do lado da cervejaria Caborê. O bairro, que empresta o nome à cervejaria, fica bem pertinho do centro histórico(onde ocorre a FLIP), a uns 15 minutos a pé. A grande vantagem da pousada é que ela é anexa à cervejaria e você pode consumir cervejas e petiscos direto dela estando na pousada.Além do que, se você for em algum dos estabelecimentos da Caborê, a conta de lá será junto com a do hotel.

No entato, ao entrar em contato com a pousada Villas de Paraty, recentemente, descobri que eles já estão lotados para esta 14ª FLIP e inclusive, que já há uma lista de espera para a FLIP 2017,  já que eles possuem um público fiel todo ano para o evento. Da mesma forma, a Pousada Morro do Forte também havia me informado na época que fazem o mesmo esquema, havendo vagas apenas se houver desistências. Sendo assim, para quem quiser conhecer Paraty em outras épocas, fica a dica, pois provavelmente elas terão quartos disponíveis.

Pousada Villas de Paraty
 
Restaurante e biergarten da cervejaria Caborê

Mas tendo em vista quem quer se hospedar para o evento deste ano, vou deixar outras dicas, que vão facilitar a sua busca. A primeira delas é tentar buscar quartos em dias separados. Faça da seguinte forma: jogue no booking, no hoteis.com ou no buscador de sua preferência 1 dia apenas de FLIP e vai buscando assim cada dia separado, pois é bem possível que você não consiga achar hospedagem para os 5 dias de evento ou só para o fim de semana no mesmo lugar, mas é bem mais provável que ache em dias separados em locais diferentes. A minha segunda dica é, se puder dê preferência para ir na FLIP nos dias de semana, pois como muita gente trabalha e não estará disponível para ir a Paraty até sexta pelo menos, é mais fácil ter vagas de quarta a sexta. Terceira dica, entre em contato com algumas pousadas e deixe seu telefone para caso haja algum desistência. E finalmente, minha última dica é pesquise também no airbnb, que é muito mais provável que você consiga encontrar algo mais barato por lá, do que nas tradicionais pousadas de Paraty.

 
 
 
 

Agora, vamos falar do que fazer em Paraty durante a FLIP. A opção óbvia para quem foi participar do evento é ir assistir às mesas das quais você comprou o ingresso. Mas, essa não é a única possibilidade, pois mesmo quem não tem os ingressos, poderá assistir todas as mesas do lado de fora das tendas. Na FLIP de 2015 foram disponibilizadas televisões e telões que passavam ao vivo o que estava acontecendo dentro da tenda dos autores (parte principal do evento), e você ainda podia pegar emprestado os fones de ouvido com walkie talkies para ouvir o que os participantes falavam, escolhendo o canal com a língua que você preferisse (existia tradução simultânea em português, ou ainda você poderia ouvir o original de alguns autores em inglês, espanhol, francês, etc…).

Ainda ligado ao que rola na FLIP, no centro histórico acontecem vários eventos simultâneos gratuitos, com direito às vezes a comidinhas e bebidinhas livres. Um bom exemplo, é a Livraria Paraty (localizada perto da ponte) que sempre tem alguma programação durante a FLIP. Além dela, outros locais como a Casa Folha, a Casa da Libre, a casa Editora DSOP, a Biblioteca Casa Azul, a Casa da Cultura, dentro muitas outras também ficam de portas abertas para receber o público em palestras, debates, bate-papos e leituras. E é bem interessante participar desses eventos off-FLIP, pois você tem a oportunidade de ouvir outros escritores, além daqueles que participarão das mesas.Se você quiser saber mais, em breve devem disponibilizar toda a programação da FLIP 2016 aqui, ou ainda, você pode descobrir esses lugares perambulando pelo centro histórico.

Agora, se você quer fazer outros passeios também fora do que ocorre no universo da feira literária, uma boa opção é ir assistir ao Teatro de Bonecos, que acontece às quartas e sábados fora da temporada e também às sextas durante as temporadas, sempre às 21 horas. Ou ainda, você pode visitar as diversas igrejas antigas que a cidade tem (4 só no centro histórico), como por exemplo: a igreja Matriz Nossa Senhora dos Remédios (de 1873), a Igreja Nosa Senhora do Rosário e São Benedito (1725) e a Igreja de Santa Rita dos Pardos Libertos (mais antiga da cidade, de 1722). E também o museu de arte sacra que fica na igreja de Santa Rita.

Igreja Nossa Senhora das Dores
Igreja Nossa Senhora dos Remédios
Igreja de Santa Rita e Museu de Arte Sacra

Eu, por exemplo, amei visitar os espaços expositivos que a cidade tem aos montes, como a Casa de Cultura e a Casa Azul e me deliciar em suas cafeterias. Além disso, foi muito bom conhecer os ateliês dos artistas locais, com estilos e técnicas bem variadas. Chegamos até a conversar com um deles, que além de pintura, também já havia realizado documentários em um caminhão. Enfim, experienciar a cidade passeando pelas sua ruas antigas é incrível, e a cada esquina você pode se deparar com uma novidade, pois Paraty é realmente um local incrível, que enche os olhos.

E para terminar esse post com chave de ouro, vou falar das opções mais afastadas do centro histórico, que são visitar alambiques de cachaça muito famosos da região (como por exemplo, o da Coqueiro), e as caminhadas pelas trilhas do Caminho do Ouro, do qual você pode pegar mais informações aqui.

Espero que tenham gostado, e se quiserem saber mais sobre Paraty e a FLIP, podem conferir o meu post anterior Paraty na FLIP: onde comer e beber.

Cais de Paraty
 

 

Por: Madame Schirmer

Uma apaixonada por viagens, história, culinária e cervejas.

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *